Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche. Martha Medeiros

Painting by Victoria Stoyanova


 
Cansam-me as palavras quando o vazio ronda. 

Ana Paula Perissé 

 
Há mais vidas lá fora de onde? 

Ana Paula Perissé 

Não, não é fácil suportar a dor de 1´escolha. 

Ana Paula Perissé 

 
Sou um arquipélago que não anseia por completude.

Ana Paula Perissé 

 
Vivo de cada vez o pedaço de céu que arremesso para mim.

Ana Paula Perissé
 
 
Quando é mesmo o momento? Quando se deve levantar?

Ana Paula Perissé 

 
Há sonhos que se afogam antes do maremoto essencial 
e ainda há sonhos por vir...

Ana Paula Perissé 

 Fragmentos de mim em dança de mesclas bebendo o sal de algumas lágrimas.

Ana Paula Perissé 

 Há de pairar um monte de vagalumes quando houver luz à meia-noite.

Ana Paula Perissé 

 
À beira de uma varanda de chão em ruínas a vida passa com pressa.

Ana Paula Perissé 

 
A cada frase, a vontade súbita de romper com o não sabido.

Ana Paula Perissé 

Sou uma lagartixa numa caixa de correio pronta a fazer fogo 
com a sobra do vinho de ontem.

Ana Paula Perissé 

 
Caótica e sensível sou qualquer coisa que vive na vertigem de ser.

Ana Paula Perissé 

 
Entre-mundos eu vivo sem uma saber da outra.

Ana Paula Perissé 

3 comentários:

  1. Pintura e poesia se encaixam em uníssono onde o belo e o sensível se completam...belo exemplo as pequenas almas que não se mesclam com tanta maestria.

    ResponderExcluir
  2. Oi Helena, admiro muito seu trabalho. Sempre fazendo belas escolhas, música, imagem, poesia. Adoro seus blog's. Beijos,
    Dafne

    ResponderExcluir
  3. Adoro todos os seus blog's. Admiro seu talento. Beijos

    ResponderExcluir

A pintura é uma poesia que se vê e não se sente, e a poesia é uma pintura que se sente e não se vê.

Leonardo da Vinci