Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche. Martha Medeiros

Painting by Wendy Ng



Então... o que eu faço da saudade que teima em habitar o meu dia?

Márcia.Dom


O corpo está inteiro de novo... a alma cicatrizada.
Íntegra... porém... irremediavelmente marcada!

Márcia.Dom


Sou filha do vento... Brisa solitária que sem rumo vaga.

Márcia.Dom


Vivo distante... ausente... peregrina em eterna viagem.

Márcia.Dom


... Sou Paz, sou pluma, sou leve, sou ritmo, som, risada e loucura!

Márcia.Dom


Sou, assim, inquieta... feito areia movediça.

Márcia.Dom


Sou um ser em crescimento vivendo a vida mutável em cada momento.

Márcia.Dom


Observe o silêncio e ouvirás o farfalhar de meus passos
que rondam perto de ti.

Márcia.Dom


O insano ficou para trás... ficou (como a vida) onde deve ficar.

Márcia.Dom


Eu sou o vento que anda...

Márcia.Dom


Ontem chegou o vento (fantasma dos meus medos!) varrendo as folhas velhas...

Márcia.Dom


Prendi o momento na ponta dos meus dedos...
Libertei-o... quando a saudade veio.

Márcia.Dom


Ah! Queria poder dar nomes aos sentimentos.

Márcia.Dom

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A pintura é uma poesia que se vê e não se sente, e a poesia é uma pintura que se sente e não se vê.

Leonardo da Vinci