Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche. Martha Medeiros

Painting by Johnny Palacios Hidalgo



Deixei uma vida escondida nos teus cabelos. Outra aberta nas tuas mãos.

Elisa


Ter o sol na cabeça. Ou a cabeça no sol. Até queimar o passado todo.
O passado que está morto. Que já passou. Talvez nem o presente interesse.
Apenas a sensação de estar viva.

Elisa


O tempo é aquilo que não nos cansamos de perder. Infinitamente.

Elisa


Não quero continuar este imperfeito voo. Doem-me as asas.
Doem-me os ossos.

Elisa


Houve um tempo em que pusemos feitiços nas mãos um do outro.

Elisa


Amo poucas pessoas, algumas mais do que outras. Mas, não me lixem,
amar algumas pessoas chega-me. O meu mundo é pequeno
e fica repleto depressa.

(texto de F.)


Dizer adeus é a evidência de que se esteve em algum lugar e temos que
ir embora. E quando vamos embora deixamos de estar e de ser.
Não somos. Não estamos.

Elisa


Escorro por ti. Acompanho as tuas mãos de água. Em todos os meus sinais
te reconheço. Sim. A pele pede mais. Água e sede. A pele bebe mais.
Da tua água. Na sua sede.

Elisa


Podia dizer(te) coisas como... a minha alma partiu-se como um vaso vazio.

Elisa e Fernando Pessoa


Quem és tu, de quem sinto estas saudades muitas? Tantas como quem deixou
um mundo de coisas abertas na vida e perdeu as chaves no caminho.

Elisa


Já não podes saber que é a ti que procuro quando só outros encontro.
Outros que não estão mortos... (mas, na verdade, tanto me fazia
se estivessem)

Elisa


Já não podes voltar quando te chamo (porque preciso de ti...)
Sei que me ampararias as lágrimas.

Elisa


Gostava de acreditar no destino. Para saber. Que mais tarde ou mais cedo.
Uma esquina nos servirá de encontro. E que um breve olhar nos devolverá
ao princípio do que tem agora fim. Por um momento.

Elisa


... e assim traço as múltiplas linhas onde des-melancolizo frases e ondas,
ruas e portos.

Mendes Ferreira


Mesmo vestidos do que queremos ser, somos sempre nós, sozinhos,
assustados, frágeis, pobres, evidentes e nus!

Elisa

Um comentário:

  1. La belleza de las pinturas de Palacios es poética.

    Excelente cita de Leonardo.

    ResponderExcluir

A pintura é uma poesia que se vê e não se sente, e a poesia é uma pintura que se sente e não se vê.

Leonardo da Vinci